Emoções: janela de espiritualidade
Emoções: janela de espiritualidade

Emoções: janela de espiritualidade

Listen to this article
Tempo de leitura 2 minutos

Emoções: janela de espiritualidade

“Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus.”
Tiago 1.19,20 NVI

Como você lida com as emoções no ambiente de trabalho?Todo mundo já ouviu que “os olhos são a janela da alma”, mas eu acredito que as emoções são a janela da nossa espiritualidade.

Deus nos fez capazes de sentir emoções como medo, ansiedade, amor, alegria, tristeza e tantas outras. Não há nada erro nisso! O problema realmente existe quando usamos essas emoções que sentimos de forma que não agrada e gloria a Deus.

Tiago, em sua carta, diz que: “(sejam) tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus.” (Tiago 1.20) A Ira não é algo ruim em si mesma, mas pode ser usada para produzir algo que não vem de Deus. Veja o caso de Jesus. Ele,  que não tinha pecado algum (1 Pe 2.22), irou-se com as pessoas que usaram o Templo do Senhor como casa de troca de mercadorias (Jo 2.13-25). Cristo pecou ao expulsar aquelas pessoas? De forma alguma! Cristo tinha domínio próprio para saber freiar suas emoções e controlá-las quando fosse necessário e por isso a justiça que Ele buscava nunca deixou de ser boa.

O elemento chave aqui é que as nossas emoções são, na verdade, neutras, mas a forma como as usamos vão dizer se vivemos e praticamos a Palavra de verdade ou se estamos agindo como fariseus do século XXI. Mateus 7.16 diz que “conhecerão a árvore pelos seus frutos. É possível alguém colher uvas de um espinheiro e figos de uma erva daninha?”, assim a forma como usamos as emoções vão dizer em qual tipo de árvore fomos enxertados: a Videira verdadeira ou um espinheiro.

Não se engane, meu amigo, as nossas emoções dizem muito a nosso respeito e precisamos aprender a lidar com elas. Lidar com nossas emoções de forma saudável é um processo longo e pode até ser bem demorado dependendo do que você já experimentou nessa vida. Mas saiba que é preciso reconhecer suas emoções, entender a raiz de cada uma delas e ressignificar aquilo que não é saudável e não reflete a quem Cristo é.

Além disso, não esqueça que o Espírito Santo, Consolador amigo, é nossa melhor ajuda nesse momento porque é Ele que nos fortalece e nos orienta na jornada de santificação até que Cristo volte.

A caminhada é longa, muitas emoções virão a seguir, mas saiba que, com perseverança, Cristo dirá a você “meu bom servo, guardou suas emoções muito bem!” quando voltar.

Tiffany Guimarães

Deixe um comentário sobre este conteúdo!

%d blogueiros gostam disto: